Skip to main content

News

Avaliação nutricional de um cão com enteropatia crónica

Published: 04/06/2018

Como se pode resolver este caso intrigante de patologia gastrointestinal persistente? Explore o processo de diagnóstico e maneio neste artigo que lhe é trazido pelo Clinician’s Brief e a WSAVA.

Uma Shar-pei fêmea inteira, de 4,5 anos de idade foi apresentada à consulta devido a diarreia crónica recorrente, alternando entre aquosa e mucosa, com mais de um ano de duração. Desenvolvera vómito e hiporexia no mês anterior à apresentação e estava associada com perda de peso ligeira. A cadela era o único animal de estimação em casa e tinha vacinação e profilaxia contra pulgas e carraças actualizada; não era considerado necessário proceder a profilaxia da dirofilariose na Suécia ou no Norte da Europa, onde a paciente habitava.

Exame físico

A paciente necessitou de sedação para que fosse efectuado o exame físico, devido ao seu temperamento. A classificação de condição corporal foi de 4/9, com um nível de condição muscular que demonstrou atrofia muscular ligeira e pelagem baça. Apesar da diarreia crónica, não foram observados sinais clínicos de desidratação. Os outros parâmetros vitais estavam dentro dos parâmetros fisiológicos. A palpação rectal era dolorosa, apesar da tranquilização.


História dietética

Tinham sido ensaiadas várias dietas de prescrição veterinária destinadas a patologia intestinal, incluindo dietas enriquecidas em fibra, sem melhoria clínica. As fontes de proteína dessas dietas incluíam frango, ovo e perú, e os tutores forneciam, ocasionalmente, algumas recompensas, tais como carnes frias e restos da refeição dos tutores. A ingestão de água permaneceu inalterada ao longo do ano. Tinha sido prescrito metronidazol em várias ocasiões; a diarreia cessava com a administração de metronidazol, mas recorrera sempre após a descontinuação da terapêutica.

Resultados diagnósticos

Os exames de diagnóstico incluíram despiste de parasitas intestinais, hemograma completo, perfil bioquímico, urianálise e um painel gastrointestinal, que incluiu trypsin-like immunoreactivity (TLI), cobalamina e folatos. Não foram detectados parasitas intestinais. Foram encontrados níveis subnormais de concentração de folatos, cobalamina e colesterol. Os resultados de hemograma e perfil bioquímico sérico não apresentaram alterações dignas de registo.

Foi efectuada endoscopia gástrica e de intestino delgado e grosso. O exame histopatológico das biópsias de intestino delgado e grosso revelaram a presença de enterite linfo-plasmocitária moderada, com um grau moderado de atrofia das vilosidades, e colite linfo-plasmocitária moderada.

Autrores

Linda Toresson, DVM, Evidensia Specialist Animal Hospital, Helsinborg, Suécia
Gregg K. Takashima, DVM, Editor da Série do Comité Global para a Nutrição da WSAVA
Kara M. Burns, Ms, MEd, LVT, VTS (Nutrição), VTS-H (Medicina Interna, Dentisteria), Academy of Veterinary Nutrition Technians

Leia o artigo na totalidade

Recurso gratuito para membros estudantes da WSAVA!

concave-pink-white